Search
24 de September de 2017
  • :
  • :

O Portal Bancos de Angola

É um espaço informativo de divulgação e educação voltado ao sector bancário angolano, suas ofertas, promoções, entrevistas, matérias, cotações, etc. Não devendo ser interpretado como substituto das entidades reguladoras do sector financeiro.

Investidores exigem mais rendimento pelos Eurobonds angolanos

card_angola_150116

fonte: OPAIS

A yield dos Eurobonds emitidos por Angola aumentou de 9,5%, na emissão em Novembro de 2015, para 10,68% a 6 de Junho.

O rendimento exigido pelos investidores (Yield) dos Eurobonds emitidos por Angola aumentou para 10,68% nos primeiros dias de Julho, todavia mantém-se abaixo das yields de Moçambique e da Zâmbia. A yield dos Eurobonds emitidos por Angola aumentou de 9,5%, na emissão em Novembro de 2015, para 10,68% a 6 de Junho.

Contudo, a economia angolana, a terceira maior da África Subsariana depois da Nigéria e da África do Sul, apresentou yield inferior a da Zâmbia e de Moçambique que evoluíram de 8,97% para 10,9% e de 10,5% para 18,17%, da data de emissão até hoje. O Banco de Desenvolvimento de Angola (BDA) deixará de indexar os créditos concedidos ao dólar (USD).

As Comissões Económica e da Economia Real do Conselho de Ministros (CEER) apreciaram na última semana de Junho a proposta para uma nova estrutura de taxas de juro dos financiamentos cobertos pelo Fundo Nacional de Desenvolvimento (FND) e a indexação dos créditos concedidos pelo BDA ao dólar.

O objectivo é desindexar a remuneração dos financiamentos do FDN da LIBOR para um título interno e os créditos concedidos pelo BDA do dólar (USD) para a moeda doméstica. Na mesma reunião foi também analisada a proposta de revisão do OGE 2016.

Espaço Internacional

Nos EUA, o défice da balança comercial aumentou em Maio, em consequência do crescimento da procura interna. A balança comercial apresentou défice de 41,1 mil milhões USD, superior ao registo de 37,4 mil milhões, referente ao mês anterior. As exportações totais reduziram em 0,2%, sendo que para a Zona Euro reduziram em 4,2%, e as importações totais aumentaram em 1,6%. O desempenho do saldo comercial reflecte o aumento da procura interna norte- americana e a valorização do dólar.

Na Alemanha, as encomendas de fábrica apresentaram desempenho inferior as expectativas em Maio. As encomendas de fábrica não apresentaram variação em Maio (0%), contrariamente a expectativa dos analistas de 1% de crescimento e superior a redução de 1,9% registada no mês anterior. O resultado reflecte a contracção da procura doméstica em 1,9% e da dos países fora da Zona Euro em 0,3%, em consequência da redução da propensão a consumir diante da volatilidade económica global.

Destaques da Agenda Económica

Esta quinta-feira o departamento de research do Atlântico destacou a divulgação, na Alemanha, da produção industrial referente a Junho, havendo a expectativa de que aumentasse em 0,1%. Realce ainda para a disponibilização em França do saldo da balança comercial de Maio, sendo esperado um défice de 5,2 mil milhões EUR.




Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Website Protected by Spam Master


error: Conteúdo Protegido !!