O Portal Bancos de Angola

É um espaço informativo de divulgação e educação voltado ao sector bancário angolano, suas ofertas, promoções, entrevistas, matérias, cotações, etc. Não devendo ser interpretado como substituto das entidades reguladoras do sector financeiro.

Inflação desce pelo quarto mês consecutivo

Angola viu a sua inflação descer pelo quarto mês consecutivo, muito embora ainda se mantenha nos 35% ao ano. Segundo o relatório do Instituto Nacional de Estatística angolano, acerca do comportamento da inflação no país, revelou-se uma subida dos preços de Março para Abril, em 1.80%. Durante o ano passado, os preços tiveram uma subida de 42%, ainda de acordo com os relatórios do Instituto Nacional de Estatística, tendo por base o Índice de Preços no Consumidor Nacional.

De Março de 2016 até ao presente, denotou-se uma descida da inflação acumulada para os 34.80%, valores esses que se assemelham aos do mês de Agosto de 2016.

O aumento dos preços em Abril teve influência do sector dos “Bens e Serviços Diversos”, principalmente, com 4.23% de aumento, mas também foi influenciado pelos sectores:

  • Mobiliário, Equipamento Doméstico e Manutenção – 2.79% de aumento
  • Vestuário e Calçado – 2.78% de aumento
  • Saúde – 2.75% de aumento

Estes valores têm como referência base o mês de Março.

Valor da Inflação ainda muito acima da previsão

Embora as notícias sejam boas, ainda não são tão boas como gostaríamos, até porque o valor da inflação a um ano ainda está muito aquém da previsão que o Governo fez no Orçamento Geral do Estado de 15.8%

O aumento da inflação tem sido constante desde Setembro de 2014, valor esse que acompanhou de forma directa o agravamento da crise económica, cambial e financeira, a qual decorreu da grande quebra na  cotação internacional do petróleo bruto, na altura fazendo disparar o custo dos alimentos.

Subida de Preços liderada por Cuanza Norte e Luanda

Quanto ao aumento de preços averiguados no último mês, foram liderados pelas seguintes províncias:

  • Cuanza Norte – aumento de 2.32%
  • Luanda – aumento de 2.25%
  • Luanda Sul e Uíge – aumento de 1.95%

Já as províncias que menos notaram aumento de preços foram a Huíla, Bié, Huambo, Bengo e Cunene, com as percentagens respectivas de 1.22%, 1.25%, 1.34%, 1.45%, e 1.50%.

FMI preocupado com o Crescimento Económico

A grande preocupação do Fundo Monetário Internacional, no que concerne a Angola, prende-se com o relançamento do crescimento económico do país, de forma a que ele se dê de forma duradoura e contínua.

O FMI ainda se mostra preocupado com a necessidade de se fazer baixar a inflação mensal, que actualmente se situa entre os 2 a 2.5% para valores mais baixos e aceitáveis.

Ainda alertaram para a necessidade de reforçar o sistema bancário e financeiro, trabalho que tem sido feito arduamente nos últimos meses, mas que precisa de continuar.

De acordo com Ricardo Velloso, uma das medidas positivas do Banco Nacional de Angola foi a retirada de circulação da moeda nacional. Esta retirada teve repercussões no corte das taxas de câmbio no mercado paralelo, as quais ainda permanecem 3 vezes superiores ao valor oficial.




Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Website Protected by Spam Master


error: Conteúdo Protegido !!