O Portal Bancos de Angola

É um espaço informativo de divulgação e educação voltado ao sector bancário angolano, suas ofertas, promoções, entrevistas, matérias, cotações, etc. Não devendo ser interpretado como substituto das entidades reguladoras do sector financeiro.

Governador do banco central de Angola nega crise de dólares.

img_890x500$2015_10_28_08_22_03_266574

 

Fonte: Jornal de negócios

 

O governador do Banco Nacional de Angola reafirmou, em Luanda, que não há crise de dólares no país, e que não haverá transformação das contas em dólares no sistema bancário para a moeda nacional. 

 

Segundo o governador, a balança de pagamentos é deficitária e há menos recursos em divisas, mas o OGE para o ano fiscal de 2016  aprovado dia 11 “tenta responder à esta dificuldade temporária” das receitas externas de Angola.

José Pedro de Morais falava à imprensa à margem da aprovação pelo parlamento angolano do Orçamento Geral do Estado (OGE) para 2016.

 

“Há uma série de medidas que o parlamento recomendou e que com certeza a economia vai adoptar para podermos então reequilibrar o mais depressa possível a nossa balança cambial”, referiu o governador do banco central angolano.

 

Sobre receios levantados na sociedade sobre uma possível transformação automática, no próximo ano, das contas em divisas para kwanzas sem consulta dos seus titulares, José Pedro de Morais negou categoricamente a informação.

 

“Não vai haver nenhuma transformação das contas em dólares no sistema bancário”, declarou.

 

Relativamente aos compromissos assumidos com o financiamento internacional de 1,5 mil milhões de dólares de ‘eurobonds’ (títulos da dívida pública emitidos em moeda estrangeira), o governador garantiu não haver “absolutamente” nenhum problema.

 

“As nossas reservas externas são suficientes para acudir todos os compromissos externos e em termos da animação à economia há uma série de programas que estão a ser gizados pelo executivo e a ideia fundamental é canalizar os poucos recursos que temos para o sector produtivo”, adiantou José Pedro de Morais.




Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

error: Conteúdo Protegido !!