Search
23 de September de 2017
  • :
  • :

O Portal Bancos de Angola

É um espaço informativo de divulgação e educação voltado ao sector bancário angolano, suas ofertas, promoções, entrevistas, matérias, cotações, etc. Não devendo ser interpretado como substituto das entidades reguladoras do sector financeiro.

Duplica a venda de divisas à banca angolana na última semana, chegando aos 142.4 milhões

A venda de divisas à banca de Angola pelo Banco Nacional de Angola duplicou na última semana, tendo recuperado dos mínimos atingidos este ano. Uma parte das divisas foi para envio de remessas para o exterior. 

O Banco Nacional de Angola (BNA) vendeu à banca comercial quase o dobro de divisas, o que significa uma recuperação para valores que aproximam-se dos 142.4 milhões de euros.

Esta informação foi dada a partir do relatório do Banco Nacional de Angola acerca da evolução dos mercados monetário e cambial referente ao período de 17 a 21 de Abril.

Este aumento surge depois de atingir mínimos este ano na semana anterior (96.7 milhões de euros), embora já tenhamos tido valores superiores, nomeadamente há duas semana (224.2 milhões de euros).

Divisas ainda se encontram exclusivas em euros

As divisas disponibilizadas pelo BNA ainda se mantêm em exclusivo ao euro, situação essa que já perdura há mais de um ano. Estas cobriram as necessidades de divisas dentro do sector do petróleo (vendas directas no valor de 17.9 milhões de euros), assim como operações dos organismos do Estado e ministérios (14.9 milhões de euros), e também operações de vários outros sectores não identificados (47.4 milhões de euros).

Todas as divisas que o Banco Nacional de angola vendeu incluem a cobertura de:

  • empresas operadoras de remessas
  • casas de câmbio
  • cartões de crédito com marcas internacionais

Lembremos que desde os finais de 2014 que nos encontramos numa grave crise económica, financeira, e cambial, tendo sido provocada pela grande quebra nas receitas com o barril de crude, cuja exportação era crucial para a saúde financeira do país.

Desde então que várias medidas de austeridade foram tomadas, para que a economia nacional conseguisse ultrapassar estes momentos difíceis.

Estas medidas levaram a um quebra na entrada de divisas no país, e consequentemente o acesso à moeda estrangeira ficou limitado nos balcões dos bancos, o que tornou as importações muito mais difíceis de se realizarem.

Também devido à suspensão de acordos com os bancos estrangeiros e os bancos correspondentes para a compra de dólares, actualmente apenas conseguimos comprar euros ao Banco Nacional de Angola.

Valter Filipe, Governador do BNA, explicou que Angola deixaria de ter dinheiro para importar bens de primeira necessidade, como alimentos e medicamentos, e por isso as restrições à venda de divisas imposta a partir de 2015 foram cruciais para conseguir evitar algo ainda pior.




Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Website Protected by Spam Master


error: Conteúdo Protegido !!