O Portal Bancos de Angola

É um espaço informativo de divulgação e educação voltado ao sector bancário angolano, suas ofertas, promoções, entrevistas, matérias, cotações, etc. Não devendo ser interpretado como substituto das entidades reguladoras do sector financeiro.

Dívida pública colocada por Angola aumenta 30%

A dívida pública colocada na segunda semana de Novembro por Angola aumentou 30% para os 65.4 mil milhões de kwanzas, o que equivale a 338 milhões de euros. Aproximaram-se também dos 10 mil milhões de euros em Títulos do Tesouro emitidos em 2017. 

BNA colocou no mercado primário 41.5 mil milhões de Kwanzas em BT e 17 mil milhões em OT

Segundo os dados fornecidos no relatório semanal do Banco Nacional de Angola (BNA) acerca de evolução dos mercados cambial e monetário, o banco central colocou no mercado primário 41.5 mil milhões de kwanzas em Bilhetes do Tesouro, o equivalente a 214.5 milhões de euros, entre os dias 6 e 10 de Novembro.

A estes valores somam-se ainda 17 mil milhões de Kwanzas, o equivalente a 87.8 milhões de euros, em Obrigações do Tesouro, indexadas à taxa de câmbio. Foram ainda colocados mil milhões de kwanzas em Obrigações do Tesouro não reajustadas, o equivalente a 5.2 milhões de euros.

As taxas de juro médias para a emissão de BT, a pagar pelo BNA, oscilam entre os 16.15% e os 23.90%, a 91 e 364 dias, respectivamente. Estas taxas de juro estão praticamente inalteradas desde Março.

As taxas de juro nominais para as OT indexadas à taxa de câmbio variam de 7% a 7.75%, a 3 e 6 anos, respectivamente.

Esta emissão da dívida pública foi a 38ª este ano. No segmento da venda directa de Títulos de Tesouro ao público, colocaram-se 5.9 mil milhões de kwanzas, o equivalente a 30.5 milhões de euros.

A emissão de dívida pública só começou em Fevereiro, na segunda quinzena. Até agora já foram colocados mais de 1.880 biliões de kwanzas, o equivalente a 9750 milhões de euros, quer em bilhetes, quer em obrigações do Tesouro.

Receitas ficais só devem cobrir 49.6% das necessidades totais

Desde 2014 que o país se encontra em sérias dificuldades, com uma crise monetária, cambial e financeira grave. O Orçamento Geral do Estado para este ano revela que as receitas fiscais só devem chegar para cobrir 49.6% das necessidades totais do país, acrescendo as receitas patrimoniais, de 6.7%.

Quanto às receitas que provêem do endividamento público, estas devem atingir um peso de 43.6% do valor inscrito no orçamento. Deverão chegar aos 3.224 biliões de kwanzas, o equivalente a 16.7 mil milhões de euros.

O Orçamento Geral do Estado para 2017 prevê contracção de nova despesa pública, quer no mercado interno, quer no mercado externo, assim como 2338 biliões de kwanzas para o serviço da dívida, o equivalente a 12.1 mil milhões de euros.

De acordo com as contas do Governo, o défice orçamental situa-se nos 5.8% do PIB em 2017, o equivalente a 1139 biliões de kwanzas (5.9 mil milhões de euros).

Fonte: Observador




Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

error: Conteúdo Protegido !!