Entre 2013 e 2014, o maior banco comercial de Angola viu disparar o seu rácio de crédito malparado de 17 para 23%.

O Banco de Poupança e Crédito, que este ano recebeu uma garantia soberana do Estado avaliada em USD 325 milhões para a sua restruturação, conta desde Segunda-feira com uma nova administração. Segundo um documento, em 2015, o BPC registou um crescimento na componente dos seus activos de 11,1%, influenciado pela expansão moderada de créditos a clientes e das aplicações em títulos, de Kz 42,3 mil milhões (4,8%) e Kz 33,3 mil milhões (72,1%), respectivamente. Os resultados líquidos totalizaram Kz 8,3 mil milhões e o rácio de solvabilidade fixou-se em 11,3%, superando o valor de 2014 em 1,2%.

O maior banco de capitais públicos em Angola viu aumentar o seu rácio de crédito malparado, de 17 para 23% entre 2013 e o terceiro trimestre de 2014. No seu relatório de 2015, o banco relata que em 31 de Dezembro de 2015, os vinte maiores clientes tinham uma exposição acumulada de Kz 338,8 mil milhões, correspondente a 34,3% do total da carteira de crédito e a 253,4% dos Fundos Próprios Regulamentares, contra 25,3% e 235,8% no fim de 2014.

A administração cessante ficou por concretizar a criação do “Banco de Micro Finanças”, anunciado em 2015, em virtude da necessidade de uma melhor aplicação dos fundos de micro-finanças dirigidos ao programa de combate à fome e à pobreza definido pelo Executivo. Entretanto, um desafio para a nova administração.

A cobrança do crédito mal parado é outro desafio que a nova administração enfrentará nos próximos anos. O relatório indica que durante o ano económico 2015, o BPC inaugurou 36 balcões, sendo 6 agências e 30 postos de atendimento, totalizando 406, o que permitiu alargar a sua cobertura geográfica a 95 municípios do país.

Cristina Florência Dias, nova PCA do BPC

Com o Despacho Presidencial que nomeou, esta Segunda-feira, a nova administração para o Banco de Poupança e Crédito (BPC), Cristina Florência Dias Van-Dúnem passa a encabeçar a equipa do banco público, como presidente do Conselho de Administração e administradora não executiva.(até Maio foi vice-governadora do Banco Nacional de Angola). Zinho Baptista Manuel é o novo presidente executivo do banco.

Para os cargos de administradores não executivos foram nomeados Rosa José Silvério Corrêa Victor, Júlio Ângelo da Cruz Correia, Djamila Hugette da Silva de Almeida Prata e Alcides Horácio Frederico Safeca. Para administradores executivos, foram nomeados João António Freire, Sebastião João Manuel, Sandra da Cunha Baptista, João Domingos dos Santos Ebo, Pedro Sérgio da Costa Pitagrós e Carlos de Carvalho Rodrigues.