Em sete dias, a dívida pública colocada pelo Banco Nacional de Angola caiu de Kz 89,3 mil milhões para Kz 47,3 mil milhões, um recuo de 47% em relação à semana anterior

O Banco Nacional de Angola informou no seu relatório semanal sobre a evolução dos mercados monetário e cambial, que entre 23 e 27 de Maio, colocou no mercado primário kz 21,4 mil milhões em Bilhetes do Tesouro (BT) e Kz 15,5 mil milhões em Obrigações do Tesouro (OT). A dívida pública colocada banco central registou queda de 47 %, para Kz 47,3 mil milhões, com os juros dos Bilhetes do Tesouro a um ano acima dos 18%. A dívida pública colocada na semana passada diminui desta forma 47% face à anterior, que então ascendeu a Kz 89,3 mil milhões.

Segundo o documento, as taxas de juro médias pela emissão de Bilhetes de Tesouro oscilaram entre os 14,95%, na maturidade de 91 dias, e os 18,38%, no prazo a 364 dias (19,88% na semana anterior), enquanto as Obrigações de Tesouros fecharam com taxas de juro de até 7,75%, a cinco anos. Na venda directa de títulos ao público o BNA disponibilizou cerca de mais Kz 10,4 mil milhões.

Está agendada, para os dias 1 e 14 de Junho, a visita de uma delegação do Fundo Monetário Internacional em Angola com vista à materialização do programa de assistência que o Governo solicitou à instituição de Bretton Woods. O objectivo da visita do FMI, segundo esclarecimentos do ministro das Finanças, é dotar o país de um Programa de Financiamento Ampliado para apoiar a diversificação económica a médio prazo. Entretanto, Max Alier, representante residente do FMI em Angola, disse recentemente que o país deve procurar aumentar a receita pública não-petrolífera e melhorar a qualidade da despesa, tanto de investimento como corrente.

Angola vive desde meados de 2014 uma crise financeira, económica e cambial decorrente da quebra das receitas da exportação de petróleo, recorrendo à emissão de dívida para garantir o funcionamento do Estado e a concretização de vários projectos públicos. O país deverá gastar mais de USD 6,2 mil milhões entre 2016 e 2017 com o serviço da dívida pública contraída externamente. Segundo informações oficiais, o “stock” de dívida pública atingiu em 2015 os USD 42,9 mil milhões de dólares correspondendo a 48,7% do Produto Interno Bruto (PIB).