O Portal Bancos de Angola

É um espaço informativo de divulgação e educação voltado ao sector bancário angolano, suas ofertas, promoções, entrevistas, matérias, cotações, etc. Não devendo ser interpretado como substituto das entidades reguladoras do sector financeiro.

Banco Nacional de Angola toma medidas contra branqueamento.

bna-bancosdeangola.co.ao

 

Fonte: Pravda

 

Banco Nacional de Angola anuncia medidas contínuas para Prevenção do Branqueamento de Capitais e Financiamento ao Terrorismo

Luanda, 12 de Janeiro de 2016 – O Banco Nacional de Angola (BNA) anunciou a implementação de uma série de acções, com o intuito de reforçar o cumprimento de medidas de Prevenção do Branqueamento de Capitais e Financiamento ao Terrorismo no sistema financeiro.

Neste sentido, por forma a responder às políticas e recomendações do FATF/GAFI (Grupo de Acção Financeira internacional), o BNA tem vindo a realizar um conjunto de procedimentos, destacando-se a emissão de regulamentação, capacitação, monitoramento permanente do sistema financeiro e sempre que necessário, penalizações às instituições infractoras.

Em termos de regulamentação aprovada pelo BNA, importa realçar as normas sobre comunicação de operações suspeitas à Unidade de Informação Financeira, de congelamento de fundos e recursos económicos de pessoas, grupos, ou entidades designadas.

Através dos avisos nºs 1 e 2 de 2013, sobre Governação Corporativa e Controlo Interno, respectivamente, que incluem a temática do branqueamento de capitais e financiamento ao terrorismo, o BNA determinou que todas as instituições sob sua supervisão devem apresentar relatórios auditados até ao final de cada ano.

Relativamente à capacitação, o Banco Nacional de Angola publicou guias sobre implementação prática de um programa de prevenção de branqueamento de capitais e financiamento ao terrorismo, e de prevenção de branqueamento de capitais nas relações de correspondência bancárias, bem como tem realizado workshops de sensibilização destinados aos sectores bancário e financeiro não bancário.

Por outro lado, o BNA tem em curso um programa de literacia financeira denominado “ABC da Educação Financeira”, que aborda entre vários temas “a prevenção do branqueamento de capitais e financiamento ao terrorismo”, com o objectivo de sensibilizar os clientes de serviços financeiros sobre a importância das medidas de prevenção do BC/FT, para a solidez e estabilidade do Sistema Financeiro Angolano (SFA) e, consequentemente, para a protecção do cliente. A referida iniciativa consubstancia-se num conjunto de microprogramas de TV e rádio, dirigidos aos clientes de serviços financeiros do SFA que, de uma forma muito breve e acessível, são elucidados sobre o tema “prevenção de BC/FT”, bem como os seus principais impactos.

Para reforçar as suas acções de monitoramento, o BNA emitiu questionários de auto-avaliação de implementação dos requisitos de BC/FT para instituições financeiras bancárias e não bancárias, desenvolvendo de igual modo acções de supervisão directa e indirecta, para acompanhamento da implementação destas matérias.

Segundo o Governador do BNA, José Pedro de Morais Júnior, Angola tem feito progressos consideráveis na adopção de requisitos mais exigentes de prevenção do branqueamento de capitais e financiamento ao terrorismo. “Temos promulgada regulamentação e reformas de políticas implementadas. Como parte dos nossos esforços para fortalecer a supervisão adequada e eficaz, o BNA tem vindo a emitir directrizes reflectidas nas normas e recomendações do FATF/GAFI.”

“Estamos confiantes de que todas estas medidas irão apoiar as instituições financeiras, visando satisfazer as suas exigências legais e regulamentares com eficiência. Ao garantir esse sucesso, o BNA irá promover a integridade do sistema financeiro Angolano, colocando-o em boa posição a nível mundial “. Sublinhou.

Desde 2010, Angola assumiu um compromisso governamental de alto nível para trabalhar com os órgãos internacionais e regionais, com vista a ultrapassar lacunas na infra-estrutura financeira, tendo dado passos significativos no sentido de alinhar-se com as recomendações do FATF/GAFI.

O BNA adoptou assim todas as iniciativas recomendadas, nomeadamente:

 –       Adesão ao Grupo Anti-Lavagem de Dinheiro de África Oriental e Austral (ESAAMLG)

–       Promulgação de leis para fornecer uma base jurídica para medidas de congelamento, apreensão e confisco do produto da lavagem de dinheiro e financiamento do terrorismo

–       Alteração de Lei para criminalizar o financiamento do terrorismo

–       Edição de regulamentos e mecanismos processuais para implementar as obrigações estabelecidas pelas Resoluções do Conselho de Segurança das Nações Unidas (CSNU)

–       Criação operacional total e eficaz de uma Unidade de Inteligência Financeira

–       Protecção da independência e autonomia operacional da Unidade de Inteligência Financeira

–       Melhoria das medidas de gestão de Domínios de Banco de Dados e de conhecimento dos clientes (CDD)

 O BNA irá envidar esforços, para que no primeiro semestre de 2016 se possa apreciar uma evolução significativa no sistema financeiro de Angola, no que diz respeito a conformidade face aos requisitos de prevenção do branqueamento de capitais e financiamento ao terrorismo, garantindo a autenticidade e total compatibilidade a todos os activos financeiros do país.

Ao concluir, José Pedro de Morais Júnior adiantou que o “BNA está comprometido em manter a estabilidade financeira de Angola, para garantia de desenvolvimento social e económico sustentável, buscando aumento das entradas de IDE (Investimento Directo Estrangeiro) no país.

O nosso maior objectivo é continuar a implementar reformas estruturais, a fim de fortalecer o sistema financeiro angolano para mitigar os potenciais riscos de branqueamento de capitais e financiamento ao terrorismo”.

  

Sobre o Banco Nacional de Angola (BNA)

O Banco Nacional de Angola (BNA), como banco central e emissor, tem como principais funções assegurar a preservação do valor da moeda nacional e participar na definição das políticas monetária, financeira e cambial.

Compete ao Banco Nacional de Angola a execução, acompanhamento e controlo das políticas monetárias, cambial e de crédito, a gestão do sistema de pagamentos e administração do meio circulante no âmbito da política económica do País.

 Olivio Gambo

Djembe Communications

 




Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

error: Conteúdo Protegido !!