O Portal Bancos de Angola

É um espaço informativo de divulgação e educação voltado ao sector bancário angolano, suas ofertas, promoções, entrevistas, matérias, cotações, etc. Não devendo ser interpretado como substituto das entidades reguladoras do sector financeiro.

Banco Nacional de Angola apoiado pelo Fundo Monetário Internacional

O Banco Nacional de Angola vai receber assistência técnica do Fundo Monetário Internacional para efectuarem a adequação das instituições financeiras às normas e práticas internacionais. 

FMI ajuda BNA

O Fundo Monetário Internacional (FMI) vai apoiar o Banco Central em todo o processo para a adequação das normas e boas práticas nas nossas instituições financeiras. Este anúncio foi feito através de comunicado do banco central.

De acordo com o Banco Nacional de Angola, depois de várias negociações por causa da implementação do Plano de Adequação do Sistema Financeiro Angolano às normas e práticas internacionais, chegaram a acordo com o FMI para que este último lhes desses apoio.

Foi o incumprimento destas normas que levou à cessação de todas as relações com bancos correspondentes, e por isso tivemos o acesso à compra de dólares por parte da banca negado. Desde 2016 que a relação com os bancos correspondentes está encerrada.

O Banco Nacional de Angola precisa ser reconhecido como uma autoridade monetária de supervisão pelo Banco Central Europeu e pela Reserva Federal. Só depois de ser reconhecida como tal poderá retomar as relações com os bancos correspondentes, e ter acesso novamente aos dólares.

Para que o processo seja bem sucedido, o banco central solicitou assistência técnica ao Fundo Monetário Internacional, a qual se prolongará por 2 anos.

Esta assistência tem como objectivo fortalecer a supervisão bancária, combater o financiamento ao terrorismo, e prevenir o branqueamento de capitais. Assim que todas estas questões estiverem resolvidas, Angola poderá retomar as relações com os bancos correspondentes.

Segundo o Banco Nacional de Angola, o Fundo Monetário Internacional disse que irá avançar com a assistência técnica para o fortalecimento do quadro jurídico angolano, segundo a Estratégia Nacional de Prevenção de Branqueamento de Capitais e Combate ao Financiamento do Terrorismo.

Este apoio poderá ser extensivo à Unidade de Informação Financeira para criar ferramentas para o desenvolvimento dessa unidade.




Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Website Protected by Spam Master


error: Conteúdo Protegido !!