O Portal Bancos de Angola

É um espaço informativo de divulgação e educação voltado ao sector bancário angolano, suas ofertas, promoções, entrevistas, matérias, cotações, etc. Não devendo ser interpretado como substituto das entidades reguladoras do sector financeiro.

Banca recupera da crise em 2018

Boas notícias para o sector bancário nacional. Uma análise feita ao sector demonstrou que a banca vai recuperar da crise já em 2018, apesar de se manterem o clima de baixo crescimento da economia e os quadros de constrangimentos de liquidez. 

A banca nacional vai recuperar da crise no próximo ano. Quem o prevê é a empresa internacional de consultório BMI Research.

A análise que fizeram ao sector bancário nacional revelaram que no segundo semestre do próximo ano se espera uma positiva perspectiva para o sector petrolífero.

Segundo o BMI, é esta situação que fará com que a recuperação seja mais fácil durante 2018. Estima-se um crescimento de activos de 3.8% no final de 2018.

Banca recupera mas continuará em dificuldades

Apesar da ligeira recuperação do sistema bancário nacional, ainda enfrentará dificuldades, muito pelo clima de baixo crescimento da economia, assim como pelos constrangimentos de liquidez.

O aumento da produção de petróleo, assim como a reestruturação que os bancos têm feito, possibilitarão, apesar das dificuldades, uma recuperação, de acordo com a agência britânica. Note que o sector ainda permanecerá vulnerável, até porque se encontra muito dependente da indústria do petróleo, a qual se encontra em fase descendente.

No último ano (até Julho), os bancos nacionais viram a sua taxa de crescimento abrandar para os 2.7%, valor esse que configura o mais baixo desde 2012, no mínimo.

Em 2017 houve uma melhoria nos preços de petróleo, e também se verificou uma recuperação geral da economia nacional. No entanto, o sector da banca ainda luta por se manter em níveis positivos. Neste momento conta apenas com um crescimento de 2.7 (Julho) de activos, sendo a taxa mais baixo de que há registro desde 2012.

Nota-se pouca procura de crédito no país, o que gera grandes dificuldades ao sector bancário. Também é visível uma fraca qualidade de activos, e uma grande falta de liquidez de dólares, que se prevê continuar nos próximos trimestres.

De acordo com as estimativas da BMI, no final de Agosto, a economia nacional crescerá 2% em 2017, e em 2018 crescerá 4.1%.




Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Website Protected by Spam Master


error: Conteúdo Protegido !!