O Portal Bancos de Angola

É um espaço informativo de divulgação e educação voltado ao sector bancário angolano, suas ofertas, promoções, entrevistas, matérias, cotações, etc. Não devendo ser interpretado como substituto das entidades reguladoras do sector financeiro.

Banca angolana só vendeu euros na última semana.

card_angola_petroleo_240415

Fonte: Economico

 

A venda de divisas pelo Banco Nacional de Angola (BNA) à banca comercial angolana mais do que duplicaram na última semana, para 321,3 milhões de euros e pela segunda semana consecutiva exclusivamente na moeda europeia.

A informação consta do relatório semanal do banco central sobre a evolução dos mercados monetário e cambial, sobre as vendas de divisas entre 22 e 26 de fevereiro, das quais 271,3 milhões de euros foram “em leilão de preço” para “cobertura de necessidades gerais de importação de bens e serviços”.

De acordo com o documento, ao qual a agência Lusa teve hoje acesso, 44,5 milhões de euros foram “para operações de natureza particular”, relacionadas com a empresa AAA Seguros, e 5,5 milhões de euros para garantir ajuda familiar, viagens e remessas de dinheiro ao exterior.

Este total compara com os 136,2 milhões de euros da semana anterior e volta a não haver registo de injeção de dólares nos bancos comerciais por parte do BNA.

Angola enfrenta há mais de um ano uma crise financeira, monetária e cambial decorrente da quebra da cotação internacional do barril de crude, tendo visto as receitas fiscais com a exportação de petróleo caírem para metade em 2015 e com isso a entrada de divisas (dólares) no país.

Paralelamente, devido à escassez de divisas e limitações aos levantamentos de dólares impostos nos bancos, o mercado informal, de rua, transaciona a nota de um dólar norte-americano a cerca de 350 kwanzas.

Segundo o BNA, a taxa de câmbio média de referência de venda do mercado cambial primário, apurada ao final da última semana, ficou-se 159,736 kwanzas por cada dólar e de 178,747 kwanzas por cada euro.

Há pouco mais de um ano, antes do agravamento da crise da cotação do petróleo no mercado internacional, a injeção de divisas no mercado angolano ultrapassava normalmente os 2.000 milhões de dólares por mês.

O governador do BNA, José Pedro de Morais Júnior, disse a 27 de janeiro que a instituição está a promover a “racionalização” de divisas aos bancos comerciais, mas assegurou que os recursos disponíveis “são suficientes”.

“Para 2016, temos os recursos em divisas suficientes para gerar as taxas de crescimentos que estão a ser apontadas ou que serão fixadas no quadro dos investimentos de programação do Governo”, afirmou o governador.

Admitiu, contudo, uma “redução” na “liberação” que até agora existia na banca comercial, sobre a disponibilização das divisas que compravam em leilões ao BNA, que “neste novo quadro” passam a ter uma “maior racionalização” na sua distribuição.

Persiste a forte redução da disponibilidade de moeda estrangeira no país, sendo o montante vendido aos bancos limitado às necessidades mais urgentes do sistema bancário e que obrigam a autorização do banco central.

A falta de divisas, em função da procura, continua a dificultar, por exemplo, as necessidades dos cidadãos que precisam de fazer transferências para o pagamento de serviços médicos ou de educação no exterior do país ou que viajam para o estrangeiro.




Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Website Protected by Spam Master


error: Conteúdo Protegido !!