O volume de divisas vendidas na semana de 22 a 26 de Agosto registou uma variação de menos 50% em comparação a semana transacta, atingindo um montante de 38,4 milhões EUR. A maior parcela do volume total de divisas vendidas de 17,9 milhões EUR destinou-se cobertura de operações de companhias aéreas.

O Tesouro Nacional emitiu 54,5 mil milhões KZ em Títulos do Tesouro na semana de 22 a 26 de Agosto. O Tesouro Nacional, por intermédio do BNA, colocou 49,9 mil milhões em Bilhetes do Tesouro (BT) e 4,6 mil milhões em Obrigações do Tesouro (OT) no mercado primário na semana com término no dia 26 de Agosto.

No segmento de venda directa ao público colocou-se 296,8 milhões KZ em OT e 597,4 milhões em BT nas maturidades de 91 a 182 dias, o que perfaz um montante acumulado de 894,2 milhões AKZ que corresponde a uma redução de 44% face a semana anterior. As taxas de juro, em média, dos BTs, mantiveram-se estáveis nas duas últimas semanas de Agosto à excepção na maturidade 91 dias.

A redução do volume de Bilhetes do Tesouro colocados no mercado na quarta semana de Agosto foi acompanhada pela manutenção das taxas de juro em níveis quase constantes. O BT a 91 dias situou- se em 13,91%, menos 0,02 p.p. face a semana anterior. No que se refere às maturidades 182 e 364 dias as taxas mantiveram-se em 16,74% e 18,50%.

As transacções no Mercado Monetário Interbancário (MMI) registaram uma redução de 43,7% na semana. O volume de liquidez transaccionado entre bancos caiu de 22,2 mil milhões AKZ para 12,5 mil milhões KZ da terceira para a quarta semana do corrente mês. O MMI mantém a tendência negativa em termos de volume de transacções, tendo igualmente reduzido o intervalo de taxa de juro média de 13,92% a 31 para 13,92 – 17%.

Espaço Internacional

Os gastos com o consumo cresceram pelo quarto mês consecutivo. A forte procura por automóveis incidiram positivamente sobre o nível de gastos dos consumidores que cresceu pelo quarto mês consecutivo e situou-se em 0,3% em Julho, igualando as previsões do mercado. Por sua vez, o rendimento pessoal cresceu 0,4% no mesmo mês, superior aos 0,3% registados no mês de Junho e igual aos 0,4% previstos pelo mercado.

O bom desempenho dos indicadores incidem positivamente sobre a perspectiva de um aumento das taxas de juro pela Reserva Federal norte-americana e dão suporte às recentes declarações de Janet Yellen sobre um aumento das taxas de juro para breve.